quarta-feira, 27 de maio de 2009

pegando carona

achei muito boa a prova da semi-final do aprendiz 6, universitário. as três meninas foram levadas para a cidade de los andes, no chile. elas foram deixadas lá, só com passaporte, sem dinheiro, nem nada, e ganharia a prova quem chegasse primeiro no hotel em são paulo. muito bacana! foi um desafio proposto pelo sebrae, para "estimular o pensamento empreendedor para quem começa do nada".

isso me lembrou da época universitária, em viçosa/mg. na própria universidade sempre tinha estudante pedindo carona na entrada do campus e sempre que eu estava atrasado eu parava ali. eram todos estranhos, mas estudantes, professores ou funcionários da universidade.

mas às vezes eu queria ir pra casa num final de semana e resolvia pegar carona na estrada. então eu imprimia o nome das três principais cidades ao longo do caminho (260km) e ia me aventurar. já fui sozinho e também com um amigo (meu compadre). já fui em caminhão, atrás de caminhonete, em carro novo, em carro caindo aos pedaços...

teve uma vez que o cara estava com a esposa grávida e cheio de compras atrás. daí eu e meu amigo o ajudamos a colocar as compras no porta-malas e seguimos viagem. numa curva ele perdeu o controle e o carro rodou três vezes, parando na pista da contra-mão. após o susto só me lembro da gente falando: 'vamos descer aqui'!

situações inesperadas à parte, essas experiências ajudam a nos tornarmos grandes pessoas, a aprender arriscar, inovar, agarrar oportunidades, ter 'jogo de cintura', enfrentar problemas e tomar decisões. é um exercício também para nossa 'cara-de-pau', já que é preciso não ter vergonha de falar com as pessoas e pedir o que se deseja. se você não fala o que quer, ninguém vai saber e nem vai te ajudar a conseguir isso.

quando foi que você pegou uma carona inesperada com um estranho ou se viu numa situação em que fosse preciso partir do zero? tem gente que senta e chora. tem gente que levanta a cabeça e toma uma atitude, procura uma saída. quem sabe um exercício assim possa te ajudar a conhecer um pouco mais de você mesmo(a)?

pretérito perfeito: a prova da bicicleta (argentina e brasil)

8 comentários:

  1. ótima ideia do programa.
    caramba, que historia essa da rodada.
    eu, tb pegava carona na faculdade. mas, era da uerj até em casa, laranjeiras.
    ótimo post

    ResponderExcluir
  2. andava de carona quando fui viajar pra São Tomé das Letras -MG, o nosso camping era longe da cidade e era bem ruim de ir a pé...peguei carona em caçamba de carro, caminhão, caminhonete....foi bem legal...rs mas lá é comum se pegar e se dar carona...acho que se fosse aqui em SP jamais entraria no carro de um estranho...

    beijinhos

    ResponderExcluir
  3. ja dei muita carona na epoca da UFV, la nas 4 pilastras. teve uma vez que eu estava dando carona pra umas pessoas que eu nunca tinha visto na vida. voltando pra ipat eu decidi passar por outro caminho. tava chuvendo e a estrada tava cheia de barro. rodei o carro e acho que os passageiros nao quiseram voltar pra vicosa comigo...

    ResponderExcluir
  4. Muito legal!!

    ...oportunidades...

    B*jim...

    ResponderExcluir
  5. Nossa, tbm adorei..tava torcendo pra Marina, mas ontem na final já fui torcendo pel Karina, ela parece ser mais racional, está mais preparada. Mas???

    E essa prova foi mesmo uma lição,pensei em até mesmo pegar minha mala e sair assim pra aventurar...
    mil bjuxx!!!

    ResponderExcluir
  6. Sempre bom te ler!! Vamos promover esse encontro camarada!

    Quanto ao post, a necessidade faz o ladrão. É bem por aí. Eu com certeza chegaria, se mais rapido ou não, não sei... mas eu chegaria em Sampa!

    ResponderExcluir
  7. haauhauha
    Conheço bem essa história! Incrivel q meus dias de faculdade estão menos insanos, mas meu ensino médio foi bem louco assim! A escola técnica onde estudei Fica bem no meio da estrada aqui na região dos lagos, para atender os moradores de todas as cidades! Então o q agnt mais pegava era carona, raridade era passar um ônibus!

    ResponderExcluir
  8. Eu cursei 1 semestre de educação física na UFRJ lá no fundão. Na época morava no Méier e não dirigia. O ônibus que tinha que pegar era horrrível e por várias vezes me aventurei no ponto de carona do CCS.
    Muitas histórias para contar das caronas rs rs rs

    ResponderExcluir

não será permitido nenhum tipo de discriminação nos comentários assim como nenhum tipo de ofensa ao autor ou aos visitantes. obrigado!

postagens relacionadas