sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

cada um com seus pobrema

retornou ao rio no último final de semana (e em curta temporada) a peça 'cada um com seus pobrema', estrelado pelo talentoso ator marcelo médici. vários amigos já foram assistir depois da minha recomendação e vieram me agradecer depois.

ele interpreta vários personagens diferentes e faz a gente rir demais. pra quem não tá se lembrando dele, ele já participou da praça é nossa como o zoinho e também já fez várias novelas, como belíssima (o açougueiro gago fladson), e peças de teatro, como a famosa terça insana.

de volta aos palcos, ele interpreta um ator que fala das dificuldades da profissão e, durante a história, vão surgindo os personagens como a cleuza, faxineira com problemas de toc (transtorno obsessivo compulsivo) e que se sujeita a situações constrangedoras para tentar se livrar disso;

sanderson: paulista e corintiano doente, é um ex-vendedor de chiclete que vai contar sobre seus empregos e sua namorada que conheceu quando ela ligou desesperada para o centro de valorização da vida (cvv) e ele era voluntário;

depois vamos saber que fim levou a smurfete, ex-personagem de desenho animado que sumiu da televisão;

tem o jonson, um surfista engraçado mas que não convence muito (hora de respirar um pouco, tomar um ar depois de tanto rir);

em seguida conhecemos a excelente tia penha, apresentadora infantil politicamente incorreta; ela é hilária! canta, dança, fuma, dá presentes e broncas (principalmente nos baixinhos da escola pública);

yumi, coreana sem graça e descartável (não gostei, mas acho que é só pra gente recuperar o fôlego);

a mãe jatira é uma vidente que incorpora personagens infantis e trabalha com seres do mundo da disney; além disso, acha que ler o futuro na borra do café não funciona e, pra isso, tem seus próprios métodos;

e pra terminar, o último mico-leão-dourado vivo (engraçadíssimo), realmente ameaçando toda a espécie de extinção, como se pode conferir no vídeo abaixo (trecho exibido quando o marcelo médici esteve no programa do jô).

se tiver a chance de assistir a peça no rio ou na sua cidade, não perca! e se não tiver, lamento, mas cada um com seus pobrema.

2 comentários:

  1. adorei o post railer...

    tem muitos jovens comediantes bons na area!!!

    ResponderExcluir
  2. Também tive a oportunidade de assistir essa peça maravilhosa. Confesso que estava descrente quando comprei o ingresso, porque já esperava uma comédia que já virou cliché nos teatros cariocas. Parece que os textos se repetem: Cócegas, Boom, Terça Insana, Surto, Pout-pourRir, Minha mãe é uma peça etc. sem citar os antigos "Cinco vezes comédia, Loiro, Alto e Solteiro procura-se" e por aí vai. Mas nesta peça, Marcelo Médici surpreende com o ritmo que ele dá a comédia e, claro, ao bom texto. Como você mesmo falou, alguns personagens talvez sejam sem graça de propósito, para dar tempo de se recompor de tanto rir.
    Parabéns pelo belo texto. Abraço

    ResponderExcluir

não será permitido nenhum tipo de discriminação nos comentários assim como nenhum tipo de ofensa ao autor ou aos visitantes. obrigado!

postagens relacionadas