domingo, 1 de agosto de 2010

substitutos


recentemente vi o filme 'substitutos' (surrogates, 2009), com bruce willis, e não podia deixar de recomendá-lo aqui. essa história de ficção científica dirigida por jonathan mostow (exterminador do futuro 3) à primeira vista é uma mistura de 'eu,robô' com 'matrix'.

num futuro próximo, as pessoas possuem versões robóticas de si mesmas e, conectadas por uma máquina no conforto e segurança de suas casas, controlam pela mente esses 'substitutos' que tomam seu papel na sociedade.

com isso o nível de violência foi reduzido praticamente a zero, assim como intolerância e preconceito, já que qualquer usuário pode operar qualquer andróide com qualquer aparência (numa cena, um homem negro e forte num laboratório tem o crachá com a foto de um cara branco e franzino) e, mesmo que o robô quebre, nada acontece com quem o opera.

a campanha de marketing da empresa responsável, a vsi (virtual self industries), reforça que os substitutos 'combinam a durabilidade da máquina com a graça e beleza do corpo humano, tornando o mundo um lugar melhor onde cada um vive a vida que sempre sonhou, sem riscos'. e completa com o slogan: life... only better (a vida... só que melhor).

os humanos que rejeitam a ideia de substitutos vivem numa área separada da cidade e são guiados por um 'profeta' que prega que 'a vida é para ser vivida e não experimentada através de uma máquina'.

a quebra da rotina ocorre quando um assassino aparece com uma arma que mata não só o andróide, mas também o seu operador, levando o fbi a investigar o caso.

o filme é cheio de sequências bacanas de ação e tem efeitos especiais muito bons. os atores representando os 'surrogates' realmente parecem plásticos e robóticos, com seus corpos muito bem cuidados e perfeitos até demais. como todos escolhem como querem se parecer, nenhum andróide é feio, descuidado, fora de forma ou tem cicatrizes.

ao final do filme, fiquei pensando como hoje em dia a gente também usa 'surrogates'. nós vivemos plugados de certa forma, na segurança de nossas casas. utilizamos nossas melhores fotos para nos representar, às vezes usamos um nome fictício ou apelido e mesmo quem nunca nos viu ou nos ouviu pode nos conhecer através dos textos que escrevemos.

por uma tela a gente interage com o mundo lá fora, com as nossas redes sociais, expressando ideias, modificando comportamentos e sendo afetados por tudo que vemos ou lemos.

a tecnologia dominou nossas vidas e, no que diz respeito a convívio com pessoas, ela conforta, mas não substitui. talvez por isso, pra lembrar o que o faz real, o herói do filme aparece sangrando e sentindo dores em várias cenas.

outro exemplo são os próprios substitutos, impecáveis fisicamente, mas abandonados com um olhar vazio quando seus operadores se desconectam porque precisam chorar. ou seja, até mesmo naquele mundo a 'humanidade' não foi totalmente substituída, pelo menos aquela dentro de cada um de deles.

14 comentários:

  1. O Bruce Willis está ficando velho! D:

    Bem, acho que a tecnologia tem sido de grande valia para nós, blogueiros, que temos opinião e nos interessamos pela opinião dos outros. Se eu não tivesse um blog, poucas pessoas se interessariam em ler o que eu escrevo. Aqui temos a oportunidade de conhecer pessoas que compartilham das mesmas ideias que as nossas, tendo uma visão ligeiramente diferente na maioria das vezes.

    Não acho que um dia o homem vá criar "avatares robóticos" dele mesmo. Acho que o ser humano não vai permitir substituir-se assim, nem que seja para trabalhar.

    ResponderExcluir
  2. eu vi esse.. é realmente mto bom...
    hoje aluguei pra ver o "alice no pais das maravilhas" espero q seja bom rsrs
    e eu de lobisomem tb, mas qdo eu ver falo se foi bom ou nao ;)
    abraçoooooo

    ResponderExcluir
  3. Pelo jeito o filme é bom. O enredo chamou atenção.

    O problema que estamos trocando relacionamentos pessoais por virtuais.

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Que legal seu seu blog! Vou seguir e passar aqui sempre. Abreço!

    ResponderExcluir
  5. ahh. Ja que vc é ligado em marketing (rsrs), voce sabe dizer se aquela propaganda da Johnsons sobre chupeta é é verdade ou invençao da internet? Cara, pq eu achei mto genial. A pessoa que bolou merece um premio. So que nao sei se é verdade ou coisa da net. Se vc nao viu ainda...aqui:

    http://1.bp.blogspot.com/_q4n_uDLyWfc/SudrWPVz0hI/AAAAAAAAAGw/hYd7-Sk3nwg/s320/chupeta.jpg


    Valeu e abracos!

    ResponderExcluir
  6. mas acho que aquele site é da onde tiraram a imagem...pq ja vi essa propaganda pela net sem o site escrito.

    ResponderExcluir
  7. Eu já vi esse filme, mas te juro que nunca tinha parado pra analisar.

    Passei até a gostar do filme pensando desse lado, tipo, tão proximo do real.

    Vê se reaparece no meu blog, tu ta sumido.
    Abraços ;)

    ResponderExcluir
  8. cara, adiciona ai no msn, se quiser augustobmendes@hotmail.com pra trocar uma ideia... abraco!

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Querido,
    ótima resenha! Ainda não vi esse filme...é que com o mestrado quase não tenho feito nada. Vc já viu 'Salt'? Quero ver...
    Ah, e discordo do seu amigo, o Bruce Willis é um gato! rs
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Achei q vc ia falar do Second Life, aquela porcaria em que vc era quem queria e fazia o q queria num mundo virtual completo.

    Nunca me interessei exatamente pq "a vida é para ser vivida e não experimentada através de uma máquina."

    Nao à toa, ninguém fala mais em Second Life hj, graças a Deus.

    ResponderExcluir

não será permitido nenhum tipo de discriminação nos comentários assim como nenhum tipo de ofensa ao autor ou aos visitantes. obrigado!

postagens relacionadas