quarta-feira, 7 de setembro de 2011

não uso facebook

eu fiz uma conta no facebook ano passado, para participar de uma promoção. depois não voltei mais lá. mas sempre tem alguém me achando e me enviando convite pra se juntar aos meus 'amigos'. hoje já são quase 200 convites aguardando que eu os aceite.

gente que nem fala comigo direito, gente que nunca me ligou pra saber como estou, o que estou sentindo, ou que, quando me encontra, não tem interesse em saber da minha vida, mas quer apenas contar suas conquistas.

como eu sempre falo, a ideia inicial foi banalizada, já que todo mundo começou a aceitar todo mundo pra ser mais popular. além disso, veio a exposição exagerada e a busca (in)consciente de reconhecimento e aceitação.

tem gente que usa o argumento de que você pode encontrar pessoas da infância ou da escola com quem não tinha mais contato. bem, no meu caso, eu falo até hoje com pessoas dessa época com quem eu quis manter contato. além disso, vejo gente adicionando esses 'achados perdidos', mas depois não troca uma palavra mais.

como numa peça de teatro em que fui, uma apresentadora de auditório abre uma carta enviada ao programa, que começa com 'querida amiga', e comenta: "primeiro, não sou sua amiga. eu te aceitei no facebook ou te dei estrelinha no orkut? você sabe meu nome do meio? então vamos parar com essas intimidades bestas na internet. até porque, quando você está lá cheio de problemas e na pior, quero ver se 357 amigos vão bater na sua porta oferecendo ajuda'.

não é verdade? e não só eu tenho esta opinião.
vejam este vídeo abaixo (clique em cc para legendas).

26 comentários:

  1. hahaha assino embaixo,tenho 599 amigos e ninguém me arruma um emprego kkkkk

    ResponderExcluir
  2. Concordo com você, mas não deixo de usar as redes sociais (estou em muitas). Acho que cada deve usar da maneira que lhe é mais interessante. Mas um dia isso tudo acaba. Ou não.

    O que eu disse no comentário do blog do Florindo?

    ResponderExcluir
  3. Boa Railer! Tenho me cansado do face. Passei da fase de me mostrar para os outros para ficar mais na observação da vida alheia rs.

    Nem tenho entrado mais, cansei mesmo...só não deixo o blog, que eu amo. É pq nele eu sou eu de verdade, o que não ocorre totalmente no face, onde sou feliz e rico sempre hehe.

    Grande abraço e obrigado pela visita. Estava sumido você!!!

    ResponderExcluir
  4. Railer, bem legal a postagem! Quando assisti a esse vídeo lembrei do que havíamos conversado. Acho até que alguns argumentos do seu texto, para se ter conta no facebook, foram inspirados em mim... hehehe. Concordo em parte sim e tenho consciência q os amigos de verdade são aqueles q se fazem presentes em nossas vidas reais. Mas mesmo assim adoro as redes sociais, em especial, o facebook, com as inúmeras possibilidades de compartilhamento. Agora não sou do tipo q sempre está contando vantagens e mostrando algo irreal sobre mim. Acho até q me exponho demais!

    ResponderExcluir
  5. Pra mim, quanto mais seleto for o seu grupo de amigos em qualquer rede social, mais funcional ela será.

    Acho que não tem só o fato de a pessoa querer ser famosa na internet para ela adicionar adoidado, mas também penso que elas aceitem os convites por educação. Sabe como é, brasileiro é muito afetuoso...

    ResponderExcluir
  6. Putz, post perfeito railer.

    E eu que pensava que era só eu que não aderia ao face e cia pelos mesmos motivos.

    Bravíssimo.

    ResponderExcluir
  7. Concordo com sua opinião e inclusive assino abaixo.
    Interessante o vídeo também!
    Boa noite e obrigada pela visita!
    Carla
    :D

    ResponderExcluir
  8. Respeito seu ponto de vista, mas discordo das expectativas criadas. Eu tenho facebook e jamais esperei que as pessoas adicionadas, venham me socorrer nas horas difíceis, até porque a maioria mora muito longe. Gosto de interagir com as pessoas, talvez seja por isso que no meu blog sempre tenho tantos comentários.
    Abração

    ResponderExcluir
  9. É praticamente uma orkutização. Mas eu não canibalizei meu facebook como fiz no orkut num passado remoto. Lá só aceito pessoas que realmente conheço ou tenho um mínimo de contato. Ah! e meu orkut foi pro brejo.

    ResponderExcluir
  10. ao mesmo, tempo essa crítica não é um tanto ingênua? como se todo mundo que vc chama de amigo realmente fosse seu amigo? entendo o Orkut e Facebook como uma agenda de telefone, o fato de eu ter seu telefone não qr dizer q eu preciso entrar em contato com vc, mas posso, um dia, a entrar em contato caso precise. não?

    ResponderExcluir
  11. wanderley, por isso mesmo eu também tenho um blog, pra interagir com as pessoas. não preciso do facebook pra isso.

    foxx, existe uma diferença em chamar alguém de amigo e de conhecido. quem eu chamo de amigo é porque considero amigo mesmo.

    gosto muito de usar o linkedin, que é uma rede de contatos profissionais e que, aí sim, vale ter o contato pra quando se precisar.

    de qualquer forma, é sempre bom dar notícias, manter um canal aberto com as pessoas pra facilitar quando alguma ajuda for necessária.

    ResponderExcluir
  12. Qualquer coisa que for usada apenas para auto-promoção, simplesmente, acho falha, frágil.
    Qualquer coisa que for feita esperando que os outros nos tragam coisas, também acho pobre.
    Em tudo o que a gente for fazer, se a gente se doar ali, será legal.
    Dos meus amigos nessas todas redes sociais das quais faço parte, já aconteceu, por várias vezes, de me darem apoio nas minhas angústias diárias, que até coloco de forma superficial nas redes e a pessoa 'retruca' com um incentivo que me serve bastante.
    Para mim, tem sido muito válida a interação.
    Conheci pessoas maravilhosas e também re-conheci outras com as quais tinha perdido o contato.
    Pra mim valeu.
    Mas 'cada um com seu cada um'.
    Respeito seu ponto de vista.
    Beijo, querido!

    ResponderExcluir
  13. entendi seu recado, Railer! Acabei deixando o orkut de lado e adotei o face justamente pra "começar do zero", e só adiciono quem realmente eu conheço. Mas mesmo assim não digo que todos lá são meus super amigos! Esses eu faço questão de conviver de perto. Respeito sua opinião sobre isso. Abs.

    obs: sobre a palestra do Pierre Levy, eu não fui, mas como foi na minha empresa, teve transmissão ao vivo, daí, assisti na rede interna. Fiz um rascunho da fala dele, se vc quiser, mando por email pra vc! Abs

    ResponderExcluir
  14. Ando sem muita paciência pra essas redes sociais... me cansam! Valeu pelos comments, seu sumido! E para aparecer nos links do TPM precisa fazer "teste do sofá"... tásdisposto?!!?!?? Hahahahahahahahahaha! Hugz, man!

    ResponderExcluir
  15. Meu facebook tem um monte de gente desnecessária que aceito por educação, confesso. Mas me é muito util para marcar coisas com as pessoas e manter contato com quem realmente importa. Posso dizer até que agora consigo encontrar com meus amigos de faculdade com muito mais facilidade do que antes de ter face, já que eles marcam e chamam por lá, por exemplo.

    Mais do que usar a rede social para a sua necessidade, é saber se os contatos pelos quais você está lá também o fazem.

    Beijo Railer!

    ResponderExcluir
  16. é assim mesmo... todas as redes sociais... números de pessoas conhecidas...

    O meu mantenho ativo por conta das pessoas chegadas... das que moram longe mas que não deixam de fazer parte do coração!

    =)

    Beijão queridoooo

    ResponderExcluir
  17. Railer, penso exatamente assim. Também já tive e me irritava profundamente aquela exposição toda, as pessoas naquela osmose de curtiram isso ou aquilo, os inúmeros convites etc. Cancelei o meu. Adorei o texto. Beijinhos, meu querido!

    ResponderExcluir
  18. Oi Railer, tudo bem?
    Menino, pior que é verdade, são apenas números esses "amigos" do face, pouquíssimos contados a dedo fazem jus ao título.
    Pois é, o tempo pode ótimo pra nos ajudar nesse ponto de revermos o que mudamos, as respostas que ovtivemos, mas tbm pode ser cruel em alguns pontos.

    Abraços

    ResponderExcluir
  19. é isso ae railer!
    estou ensaiando minha saída do fb mas ainda falta um tico de coragem (ou vontade)... chego lá!

    ResponderExcluir
  20. Cada um ... cada um ... não levo tão a ferro e fogo assim ...

    ResponderExcluir
  21. hum... eu já escrevi sobre isso, mas na época que bombava o orkut. Eu sempre achei tão chato esse lance de redes sociais...Nunca fiz um face, e meu orkut já deletei.

    Eu não sou anti-social sabe, mas é que eu gosto de me socializar na real, ou pelo menos trocar idéias, conversar... e não trocar curtidas e cutucadas, charges e tirinhas, sei lá, isso eu faço por email. E não me acrescenta em nada ficar fuçando a vida alheia.

    E quem quiser saber da minha vida é só me perguntar, minha vida é um livro aberto - com algumas páginas arrancadas. Essa coisa de fazer teatro em torno da própria vida, criar um personagem de sucesso e eternamente feliz pra expor no face, esse faz-de-conta, não combina comigo.

    Enfim, concordo contigo que não encontrei nenhum proveito que justificasse a rede social, pode ser que eu que não soube usar, pode ser que alguém use racionalmente, sei lá né. Eu prefiro usar o blog, msn, alem da velha e ultrajada realidade.

    À propósito eu até sou inscrito em duas redes sociais, o skoob e o filmow, só essas mesmo.

    Abraço

    ResponderExcluir
  22. Me aponta onde fica a opção de widget no skoob, pf. Nao encontrei =/

    ResponderExcluir
  23. Oi Railer,

    Ontem assisti um filme argentino que me identifiquei muito.Ele é o medianeras e fala muito sobre o nosso momento histórico/social/... e tbm sobre a farsa da tal 'era virtual'. Separei um trecho de um blog que ilustra a farsa criada em torno das medias sociais, chats, blogs, twitter, insta, you name it...
    'O filme acaba se transformando durante seu desenvolvimento em sua principal metáfora, tal como as medianeras, ele mostra um lado da sociedade e de nossas próprias vidas, que nós preferimos na maioria das vezes ignorar. Preferimos acreditar que todo o aparato tecnológico que nos cerca é capaz de suprir cada uma de nossas necessidades e que por estarmos "conectados" jamais estaremos sozinhos. Preferimos varrer nossas própria neuroses para debaixo do tapete, para não termos que encarar o mundo real, que insurge como uma ameaça à nossa aparente comodidade'

    ResponderExcluir

não será permitido nenhum tipo de discriminação nos comentários assim como nenhum tipo de ofensa ao autor ou aos visitantes. obrigado!

postagens relacionadas