quinta-feira, 9 de junho de 2011

elogios em excesso

elogios fazem sempre bem? e quando eles acontecem em excesso?

li no jornal sobre uma pesquisa na universidade de columbia, em que crianças de 10 anos consideradas inteligentes foram comparadas com outras da mesma idade, consideradas como esforçadas.

por não conseguir fazer uma tarefa facilmente, o primeiro grupo ficou angustiado e desmotivado, enquanto o segundo enfrentou a situação de forma diferente, querendo aprender a fazer direito e ter sucesso na próxima vez.

assim, fiquei pensando na questão dos elogios. você pode achar algo interessante, pode gostar, achar muito bom, ótimo, excelente, maravilhoso, extraordinário e até genial (percebe o grau de cada palavra?).

mas se você faz um elogio além do que é realmente merecido, isso pode ser prejudicial porque as pessoas podem acabar não se esforçando e se acomodando em fazer 'mais ou menos' aquilo que fazem.

se alguém merece um elogio, ele deve ser feito, mas na medida certa. dar um feedback sincero e construtivo faz a pessoa se sentir melhor e vale mais do que mentir pra agradar. nossas palavras podem ajudar alguém a crescer ou a ficar no mesmo lugar. prefira sempre a primeira opção.

9 comentários:

  1. Olá menino
    "Quando a esmola é demais, o santo desconfia", assim é também com o elogio.
    Abração

    ResponderExcluir
  2. Eu detesto elogios. Sempre fico constrangido quando os recebo. Ninguém faz nada de graça, e tenho na minha cabeça que quem elogia sempre espera receber algo de volta. E elogiar não é comigo...

    ResponderExcluir
  3. Também fico todo errado... fazêoquê, né

    ResponderExcluir
  4. Acho legal receber um elogio, mas realmente quando é demais parece falsidade.

    ResponderExcluir
  5. Eu costumava ser muito elogiado pelo meu empenho em sala de aula quando eu estudava. No trabalho isso raramente acontece e isso me desmotiva um bocado.

    ResponderExcluir
  6. O exemplo citado pelo Florindo é bastante comum nas Organizações e desmotiva muitos colaboradores, que, infelizmente, foram demasiadamente condicionados à postura do elogio permanente. Exemplos reais não faltam.

    Ontem na minha aula de Gestão Estratégica de Pessoas (agora cuido das pessoas também hehehe - brincadeira), foi levantada a questão da comparação entre elogio excessivo, inteligência, motivação e produtividade.

    E deixo a pergunta: quem vence na vida, o inteligente ou o motivado?

    Respondo: o motivado, é claro, justamente por sair da zona de conforto, de procurar aprender sempre, de não querer ser melhor do que o outro por ser mais inteligente em algo. O motivado corre atrás, mas não deixa de ter seu momento de desmotivação.

    Fica a dica. Ótima semana, adorei o post.

    ResponderExcluir
  7. Eu tenho um colega de trabalho que tem o péssimo hábito de elogiar a todos. E é péssimo mesmo pq virou mania, não significa necessariamente reconhecimento ao trabalho bem feito.

    Hj, se ele elogia alguém cujo trabalho eu não conheço, não consigo acreditar no que ele diz.

    Acho que elogio é fundamental, mas como reconhecimento, não prática recorrente. O que ninguém entende é que reconhecimento tem dos dois lados: reconhecimento do que foi muito bem feito (e merece elogio) e do que foi muito mal feito (e merece bronca... mas isso ngm quer, né?).

    Xêro ;)

    ResponderExcluir
  8. acho o ato de elogiar fundamental, não só na educação infantil, como no nosso dia a dia. Sempre estamos dispostos julgar e criticar, e esquecemos de elogiar quando algo foi bem feito. Elogiar de forma sincera e na medida certa é construtivo sim, só tendo cuidado para não confundir com "passar a mão na cabeça" de alguém. Boa reflexão! Abs.

    ResponderExcluir

não será permitido nenhum tipo de discriminação nos comentários assim como nenhum tipo de ofensa ao autor ou aos visitantes. obrigado!

postagens relacionadas