segunda-feira, 26 de novembro de 2007

a mariposa e cecília

existem pessoas na nossa vida que são para se ter e não para se possuir, como diz a música 'to have and not to hold', do disco 'ray of light' da madonna.

muitas vezes a gente sabe que um envolvimento com outra pessoa não vai dar certo, sabe que a pessoa é só pra se ter, mas mesmo assim a gente insiste e segue em frente.
por que a gente insiste?

no final a gente só pode culpar a si mesmo de ter feito isso. e é disso que a madonna fala, comparando-se com a mariposa que é atraída pela luz da vela: mesmo sabendo que irá morrer queimada, ela não consegue resistir e voa em direção à luz que tanto a encanta.

"ter e não possuir,
tão quente, porém frio
meu coração está na sua mão e
no entanto você nunca está próximo o bastante
amar, mas não manter
[...]
no entanto você nunca faz nada pra eu querer ficar [...]
como a mariposa em direção à luz, só eu posso ser culpado"

por que acontece de a gente se manter em algum tipo de relação que já sabemos que não funcionará? por que nos sujeitamos a certos comportamentos? medo de perder a pessoa? medo da solidão? no fundo cada um sabe seu porquê, mas insistimos talvez com a esperança de o final ser diferente. é o pagar pra ver. mas infelizmente o final só concretiza o que a gente já sabia.

cecília meireles escreveu um poema que aborda justamente este assunto (um amigo me enviou). finalizo com ele.

"encostei-me a ti, sabendo que eras somente onda.
sabendo bem que eras nuvem, depus a minha vida em ti.
como sabia bem tudo isso, e entreguei-me ao teu destino frágil,
fiquei sem poder chorar, quando caí."


5 comentários:

  1. ter X possuir; Cecília Meireles...
    Que post mais depressivo!
    Cadê o meu primo alto astral? Será a crise dos 30? rsrsrs
    abraço

    ResponderExcluir
  2. Amei o post! E vc sabe o porquê! No conflito coração e razão descobrimos caminhos nunca antes imaginados.bjs

    ResponderExcluir
  3. Adorei a postagem!!!
    Realente certos relacionamentos são assim, mas eu acredito no amor! Acredito e muito.
    Bem sou estudante de direito, estou no 9º periodo, graças a Deus.
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. muito bom esse texto, Railer. às vezes acabamos cometendo o mesmo erro, sem perceber. Mas é mais fácil ver isso nas histórias alheias. Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Uai, mas viver é isso: tentar. Como é que a gente pode saber se não tentar? Aliás, os dois textos que você dá como exemplo parecem-me que demonstram isso. A música da Madonna coloca em cena alguém que está no tal relacionamento e o avalia; o trecho de Cecília traz um eu-lírico que já viveu, afinal ele/ela já caiu.

    Ambas tentaram. E é isso, querido. Mesmo correndo o risco de mariposear sempre, tentemos.

    Tentemos sempre.

    ;)

    ResponderExcluir

não será permitido nenhum tipo de discriminação nos comentários assim como nenhum tipo de ofensa ao autor ou aos visitantes. obrigado!

postagens relacionadas