quarta-feira, 4 de março de 2015

50 tons


eu adquiri o livro para ler mas não consegui fazer isso antes do lançamento do filme. então fui ao cinema e gostei da história do cara rico, com um passado obscuro, que curte jogos sadomasoquistas e se encanta por uma garota comum.

no nome original 'fifty shades of grey', os cinquenta tons/sombras, além de cinza, também se referem ao personagem principal, christian grey. uma figura difícil, sedutora e que guarda muitos segredos, que vão além do seu quarto de instrumentos.

a maneira que ele encontra para dar e para receber prazer é um tanto diferente, sendo que para se relacionar com ele é preciso assinar um contrato que vai conter as regras de todo tipo de submissão que pode existir entre duas pessoas. como o personagem mesmo diz, ele 'não faz amor, mas fode, e com força'. já ela quer um relacionamento 'normal', com carinho e programas a dois.

apaixonada, anastasia - ou  apenas ana - vai se render ao galã a fim de descobrir o que existe nesse mundo de riqueza, dor e prazer, mesmo que isso tenha um preço alto. ambos vão influenciar um ao outro e até mudar comportamentos um do outro, mas sempre mantendo-se fiéis a suas essências e naturezas, o que pode - e vai - gerar conflitos.

com uma bela fotografia (gostei da cena da discussão do contrato), trilha sonora envolvente - com destaque para a versão sexy de 'crazy in love', da beyoncé (ouça aqui) - e atores bonitos e convincentes, o filme agrada. deu vontade de ver como essa trilogia vai acabar. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

não será permitido nenhum tipo de discriminação nos comentários assim como nenhum tipo de ofensa ao autor ou aos visitantes. obrigado!

postagens relacionadas