terça-feira, 3 de janeiro de 2012

ao vivo

essa semana li um artigo interessante da harvard business review sobre como um simples telefonema ou uma conversa pode evitar vários emails e mensagens trocadas, agilizando na solução de problemas.

o autor falava que uma de suas metas para 2012 seria conversar mais pessoalmente com as pessoas. se preciso, ligar pra elas ou agendar reuniões ao invés de escrever.

hoje em dia as pessoas preferem escrever email, messenger e enviar torpedo ao invés de pegar o telefone ou conversar. às vezes moram na mesma cidade e nem se falam mais, mas trocam mensagens no facebook, twitter ou celular.

já vi gente trocando texto em situações de conflito, sejam brigas pessoais ou problemas no trabalho. será que não percebem que textos só prolongam a situação? além disso, na maioria das vezes não resolvem e são mal interpretados.

seria talvez o medo do confronto? a insegurança de ter que lidar com alguém?

se for preciso escrever algo numa situação assim, o melhor é nunca enviar logo, mas deixar passar um dia. assim, quando você voltar ao rascunho, terá pensado melhor no assunto e evita responder de cabeça quente.

seja no celular ou computador, todas as novas ferramentas tecnológicas mudaram nosso modo de interagir e nos aproximaram virtualmente, o que conforta. mas a conversa ao vivo continua insubstituível. vamos tentar fazer mais isso em 2012.

12 comentários:

  1. Ei Railer! Feliz 2012 para ti!

    Muito bacana seu post, logo no início do ano. Concordo com o autor do artigo e já passei por situações bastante parecidas com as citadas.

    As pessoas, na busca insana pelo resultado, esquecem-se das pessoas. E trabalhando horas a fio, preferem escrever a atender uma ligação, marcar um café e enfrentar.

    Muitas pessoas são assim, escondem-se atrás das redes sociais, como se fossem ferramentas de provas (que na verdade, são).

    Porém, não nada melhor neste mundo do que sentar e resolver, evitando conflitos e melhorando o alinhamento da comunicação.

    Em relação às amizades, sinto falta de sentar, conversar, ver o dia passar com meus amigos em bar, cinema, etc etc. Cansei de facebook, só não deixarei para trás o blog, que gosto muito.

    Mas com novidades. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. Eu confesso que tenho preguiça de ligar. Falar com as pessoas, apesar de ser muito mais ágil, sei lá, eu evito.

    Por um tempo eu criei a ilusão de que mandar mensagem era mais barato. Mas dependendo do assunto, fica é muito mais caro.

    Beijo Railer!

    ResponderExcluir
  3. Acho que as interpretações equivocadas são o principal problema. Existem algumas funcionalidades que o e-mail oferece que não existe na conversa, por exemplo: a possibilidade de reprodutibilidade fiel daquilo que foi enviado. Mas são casos e casos, existem discussões que se estendem de fato quando fazemos por meio da internet ou do celular, mas em algumas circunstâncias o uso dessas ferramentas pode ser bem útil. É só ter um pouco de bom senso na hora de escolher o meio de comunicação!

    Abraço, Railer... Até o próximo

    ResponderExcluir
  4. No ambiente corporativo - hoje em dia - o ao vivo não funciona mais. O e-mail é a maneira que se tem pra documentar tudo que foi "dito", a prova escrita pra diversas situações. Mensageiros instantâneos evitam o vai e vem de funcionários, assim como os exageros de voz (em caso de baias em grandes setores), trocando o blablabla por tectectec.

    Mas fora desse ambiente, vira preguiça e covardia, em muitas situações.

    Socializar é preciso!

    ResponderExcluir
  5. Olá Railer, eu confesso que sou péssimo nas palavras faladas e melhor na escrita, porque acho que eu paro para pensar melhor quando escrevo. Mas concordo em achar que às vezes é mais fácil ligar e conversar do que mandar email, torpedo etc. Outro dia vi uma cena no mínimo bizarra: dois namorados, cada um com seu laptop, se comunicando no mesmo ambiente por mensagens. Eu achei o cúmulo, mas infelizmente as pessoas estão "vivendo" assim...

    ResponderExcluir
  6. na verdade se por um lado aproximou as pessoas essas tecnologias também afastaram, pq hj o contato cara a cara é trocado por uma msg, é mais facil vc dizer algo por uma rede social do que ter q falar pessoalmente na frente da pessoa.

    ResponderExcluir
  7. é verdade Railer...já fiz muito disso... inclusive no meu último emprego, tudo o que era conversado era por email...para evitar que as pessoas ficassem levantando... sedentarismo total!!!! Eu achava ruim, sentia falta da comunicação por palavras... massss....

    Beijão

    ResponderExcluir
  8. interessante!
    eu concordo e ainda acrescento que parece que muita gente está perdendo "a mão" para conversar... ficam procurando o que não foi dito, entendendo o que não foi falado... acho que as pessoas em geral estão precisando investir mais nos relacionamentos da vida real. e que o façam!
    feliz 2012!

    ResponderExcluir
  9. Acho que de todas as formas de comunicação, a fala ainda é a mais ágil,


    Bjkas

    ResponderExcluir
  10. Ótimo texto, Railer. O tema é interessantíssimo. Concordo quando você diz que precisamos "falar ao vivo" com as pessoas, ao invés de trocar e-mails ou mensagens. O problema é que, apesar de me considerar (com muita honra) seu amigo pessoal, nós dois já não nos falamos há tanto tempo, que eu simplesmente não conseguiria ligar pra você para, por exemplo, desejar Feliz Ano Novo! Estranho, né? Mas é verdade. Penso que acabei me acomodando com este "mundinho virtual"... Lamentável.
    De qualquer forma, desejo sinceramente que você tenha um ótimo ano de 2012! :)

    ResponderExcluir
  11. As pessoas andam tão sem tempo pra gastar com conversa, que passam a ideia de que estão perdendo tempo quando estão conversando, infelizmente.
    A gente liga e parece que estamos sendo inconvenientes, então, também aderi à era tecnológica, porque a pessoa lê e responde quando der, se der, se quiser.
    Eu gosto do 'cara a cara'.
    Beijo, querido!

    ResponderExcluir
  12. Rapaz! Gostei muito desse texto e concordo plenamente. Sempre preferi conversar e, de preferência, pessoalmente. Aliás, quanto mais "grave" a situação, mais indicado que esta seja a forma, não?

    Abraços!!

    ResponderExcluir

não será permitido nenhum tipo de discriminação nos comentários assim como nenhum tipo de ofensa ao autor ou aos visitantes. obrigado!

postagens relacionadas