sexta-feira, 25 de março de 2011

o grito roubado


o fotógrafo noam galai nasceu em israel e mudou-se para nova iorque em 2006. um dia tirou umas fotos de si mesmo gritando e as colocou no site de fotos flickr. tempos depois, uma colega de trabalho lhe pergunta porque ele não contou que estava vendendo camisetas, pois ela tinha visto sua foto numa camiseta no metrô!

assim mesmo, por acaso, foi que ele se deu conta de que seu 'grito' estava em vários lugares como camisetas, muros,blogs, revistas e até capas de livro em diversos países do mundo! ele não tinha ideia da proporção que a coisa tinha tomado. pessoas usando sua foto sem permissão, sem perguntar a ele antes, sem dar crédito ou lhe pagar alguma coisa pelo uso da imagem.

procurando por sua foto no tineye.com, ele ficou chocado ao descobrir que ela tinha sido usada em centenas de lugares, a maioria remetendo a protestos, oposição a governos e busca por liberdade. segundo noam, o uso como arte não importou muito, já que não deixa de ser uma forma de divulgação de seu trabalho, impulsionada pela tecnologia.

mas quando ele descobriu também que muitas pessoas e até empresas estavam faturando com o uso de sua imagem, vendendo a foto ou produtos com ela estampada, ele não gostou.

até onde o que você coloca na internet é seu? quando algo passa a ter domínio público? sempre que eu lembro, eu coloco o nome do blog nas fotos que publico aqui, para o caso de alguém as encontrar através de algum buscador. a internet tem esse poder de levar pro mundo aquilo que, anos atrás, só ficaria no seu álbum em casa. mas o direito autoral é algo que precisa ser valorizado.

noam criou o site "the stolen scream" (o grito roubado) onde divulga sua história e mantém um blog onde posta os diferentes lugares do planeta onde encontra sua foto. além disso, ele também divulga seu site de fotografias (www.noamgalai.com) e sua loja virtual (www.screamography.com) onde vende seus próprios produtos como forma de receber algum dinheiro por sua imagem.

quanto à foto no início dessa postagem, é original e foi enviada pelo próprio noam galai, que inclusive me deu permissão para que eu contasse sua história.

abaixo, em inglês, a entrevista com o próprio fotógrafo, feito pelo videoblog fstoppers. espero sinceramente que ele consiga mais créditos com a divulgação desta entrevista já que sua história começa a ficar mais popular.


8 comentários:

  1. Sério que você é de Ipatinga Railer?

    Eu gosto daquela cidade demais!!! Minha base de trabalho é lá e tenho um carinho especial por ela. Gosto da estrutura, dos bairros bem localizados e do fácil acesso a tudo.

    Apesar de ser cara rs, em relação às vizinhas e ter pouca ou nenhuma opção de música eletrônica - se é que me entende - eu gostaria muito de morar lá, ter um negócio próprio e fazer parte de IPA, que é tão perto de BH.

    Que bacana saber que você é de lá. Não deixe de visitar a Hamburgueria, é uma delícia e o atendimento é muito bom.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. hahaha... Railer, me lembrei que tenho uma foto horrivel, estou com a boca aberta, e o braço direito levantado, parecendo dar um grito... um tentar lança-la na net, pra ver ser repercute....

    Brincadeiras a parte, o caso é sério. Isso é só uma questão de respeito, e de honestidade afinal, rouba-se um trabalho, ou uma idéia. Deveria ser um crime de roubo.

    ResponderExcluir
  3. incrível essa história. Realmente não temos ideia do "poder" de projeção que a internet nos proporciona. Por um lado, é legal pq seu trabalho passa a ser conhecido, mas por outro é perigoso ou prejudicial. Tomara que ele consiga reverter isso e passar a ganhar de fato com a divulgação de suas fotos, que por sinal são muito bacanas!

    obs: sobre seu comentário no meu blog "Roteirizando ideias", muito obrigado pela lista de filmes e dicas! Com certeza, vou querer pegar mais dicas com você, quando chegar mais perto da viagem! Abraço

    ResponderExcluir
  4. Domínio público não vai ser a não ser que o autor autorize isso. Caso o contrário, vale a regra dos 70 anos após a morte dele.

    Mas a internet é baseada em cópia de arquivos. é impossível manter um controle disso. Esse é um debate que não terá fim.

    ResponderExcluir
  5. Maluco isso, as vezes penso em colocar marca d'agua nas minhas fotos (sem querer ser pretensioso).

    ResponderExcluir
  6. acho que ele tirou de letra a coisa, mostrando que seu trabalho foi legal e está sendo divulgado.
    o que não é legal é a pessoa copiar e nem citar a fonte.
    isso me irrita profundamente.
    beijo!

    ResponderExcluir
  7. isso foge do controle de quem publica, infelizmente. no livro the pirate´s dilemma, com postagem no meu blog sobre o tema, http://zeluisbraga.wordpress.com/2010/08/21/pirataria-mudanas-no-capitalismo/, o assunto é extensamente discutido, a mudança social é muito grande. o que eu fiz no blog, foi associar uma licença creative commons ao conteúdo, que não impede nada, mas pelo menos fica registrado. abraco,

    ResponderExcluir

não será permitido nenhum tipo de discriminação nos comentários assim como nenhum tipo de ofensa ao autor ou aos visitantes. obrigado!

postagens relacionadas