quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

127 horas

final de semana fui ao cinema com a agradável companhia do daniel, blogueiro do mundo em meus olhos, pra assistir a esse novo trabalho do direitor danny boyle, o mesmo de 'quem quer ser um milionário?'. é interessante ver que o título do filme só aparece depois de uns 15 minutos de projeção, quando a contagem das 127 horas vai realmente começar.

baseado no livro autobiográfico 'between a rock and a hard place' (que no brasil será lançado com o mesmo título do filme), vamos conhecer a história real de aron ralston, alpinista e aventureiro que fica preso num cânion quando uma pedra se desprende e esmaga seu braço direito.

a sequência mostrando a localização de aron, com a câmera subindo pela fissura até o céu dá uma ideia da situação desesperadora em que ele se encontrava e da inutilidade de gritar por socorro. vamos acompanhar os 5 dias em que ele passa preso, tentando de tudo para retirar a pedra de cima do braço e sair de lá, até que resolve optar por uma medida extrema: cortar o próprio braço.

o ator james franco (indicado ao oscar por este papel) interpreta muito bem a agonia, o medo e o estado psicológico de aron, que faz um grande esforço para não perder o controle e não se deixar vencer, mesmo com a falta de comida, água e o frio que enfrenta.

dá pra sentir que ele realmente tem uma paixão pelo montanhismo, respeito pela natureza e um carinho com a rocha esculpida do lugar, que ele acaricia em vários momentos da trama. com uma fimadora e uma câmera fotográfica, ele vai fazendo registros dos dias, tentando se distrair e também como uma forma de deixar mensagens para a família e amigos, já que não sabia que fim levaria.

como o daniel comentou em sua crítica do filme (aqui), algumas partes lembram um videoclipe e a trilha musical hora é enérgica, hora dramática (dosando a carga emocional da história) e hora até incômoda, como o som de microfonia num momento delicado que vai deixar qualquer um com os 'nervos' à flor da pele.

o filme vale por esse exemplo de superação e garra, pois mesmo diante de uma situação em que muita gente ia simplesmente desistir e se entregar, ele mostrou que a vida vale muito mais e que é preciso se libertar, mesmo que seja com um canivete.

9 comentários:

  1. Tô louco pra ver, ainda mais que tenho um amigo alpinista que vive contando histórias que ele e o pessoal que escala se metem, a última dele, foi que quase morreu na Bolivia...
    Abraço !!

    ResponderExcluir
  2. Muito boa sua análise, Railer. Eu gostei do filme. Não é meu favorito, mas é muito bom, sim.

    Abs!

    ResponderExcluir
  3. Adorei sua crítica. Concordo em tudo.

    Eu mesmo não sei se eu me entregaria ou se cortava na carne.

    ResponderExcluir
  4. to louco pra ver.

    diz que meu marido ta tuudo

    ResponderExcluir
  5. Ain, estou doido pra ver esse filme e Black Swan também.

    ~Ainda te espero no emu blog, senhor.

    *DB*

    ResponderExcluir
  6. Ainda não estreou por aqui, mas pelo o que eu já sei do filme, é bastante angustiante e provavelmente perturbador na cena em que ele se desprende da rocha de maneira desagradável. :S

    ResponderExcluir
  7. seria impossivel p mim ver esse filme no cinema sem parada nenhuma.

    muito agoniante e por isso mesmo ótimo.

    ResponderExcluir
  8. Acho angustiante!
    hahaha
    #aloka
    Beijo!

    ResponderExcluir
  9. Ótimas críticas!
    Abcs

    Alexandre Taleb
    Consultor de Imagem/Personal Stylist
    AICI - USA member - association of image consultants international
    Blog: http://ataleb.wordpress.com
    Site: www.alexandretaleb.com.br

    ResponderExcluir

não será permitido nenhum tipo de discriminação nos comentários assim como nenhum tipo de ofensa ao autor ou aos visitantes. obrigado!

postagens relacionadas