sexta-feira, 14 de outubro de 2011

orações para bobby



orações para bobby (prayers for bobby) é baseado no livro de mesmo nome, escrito pelo jornalista leroy aarons, fundador da national lesbian and gay journalists association. um filme que todos deviam ver e mostrar para suas famílias e amigos.

uma história real, brilhante e comovente, que fala de bobby griffith (ryan kelley), um garoto americano, e a sua relação com a família ao revelar sua orientação homossexual. sua mãe mary griffith (sigourney weaver), fiel à religião, pouco informada e cheia de preconceitos, vai fazer de tudo para "ajudar" e curar" o filho: arruma psicóloga, apresenta meninas e até mesmo insiste com o ensino religioso e as orações para que esses pensamentos saiam da cabeça dele.

tudo isso vai servir para deixar o rapaz mais confuso e dificultar sua autoaceitação. começa então uma luta contra si mesmo e, não aguentando a pressão psicológica, ele toma uma atitude radical e trágica.

aí então é que o filme realmente começa, mostrando como essa mãe vai tentar amenizar sua culpa e procurar entender o que seu filho "pecador" tinha. para isso vai ser preciso rever conceitos, se reposicionar e repensar opiniões e crenças.

em busca de respostas, ao mexer no quarto do filho, ela encontra um diário que diz: “eu não posso deixar que ninguém saiba que eu não sou hétero. isso seria tão humilhante. meus amigos iriam me odiar com certeza, poderiam até me bater. na minha família já ouvi várias vezes eles falando que odeiam os gays, que deus também odeia os gays. fico apavorado quando escuto minha família falando desse jeito, porque eles estão realmente falando de mim.”

infelizmente muitos gays se identificam com isso pois já se sentiram assim, como se essa condição fosse algo ruim, desprezível e que devesse ser escondida. escutam pessoas exteriorizando sentimentos ruins, de mau gosto e intolerantes, sem se preocupar com quem está por perto, sem se preocupar quem está ouvindo e qual o efeito disso.

se a pessoa do seu lado sofre em silêncio com sentimentos conflitantes dentro dela, como essas palavras serão recebidas? escutar que o que você sente é errado ou é pecado, mata sua autoestima, sua autoconfiança, seu senso de valor e seu amor próprio.

ainda bem que dessa história vai nascer a esperança e a luta para evitar que outros jovens se sintam igualmente pressionados pela sociedade, religião, família e para que saibam que não estão sozinhos e que há pessoas em defesa deles e de seus direitos.

é sobretudo um filme lindo, humano e intenso. o discurso da mãe e o gesto final mexem com a gente e emocionam (eu choro sempre que revejo), seja pelas palavras dela ou pela interpretação da sigourney weaver, que é muito verdadeira.

pra mim este é o melhor filme que aborda o sofrimento que muitos gays sentem ao se confrontarem a primeira vez com este sentimento e as dificuldades e medos de falarem abertamente e naturalmente sobre isso. além de mostrar o impacto que a ignorância e o medo da palavra "gay" pode ter sobre uma família.

* releia aqui uma atitude recente e exemplar de uma outra mãe americana e também esta história aqui de como simples palavras podem afetar alguém.

16 comentários:

  1. Esse é um filme que todo mundo me recomenda, mas que não consegui assistir até hoje. Mas, se bobear, já até vi ele inteiro de tanto trecho que já vi postado por ai. Especialmente o discurso final da mãe.

    Beijos Railer.

    ResponderExcluir
  2. impossível não se emocionar com esse filme.

    ResponderExcluir
  3. lobo, eu tenho o filme. se quiser a gente combina de vê-lo e chama mais gente.

    alan, realmente é um filme e tanto.

    ResponderExcluir
  4. Deve ser mesmo ótimo o filme.
    Gosto dessas abordagens que fazem as pessoas repensarem seus conceitos, ou pre-conceitos.
    Muito boa dica!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Muito bom seu blog amigo!

    Se puder venha conhecer o Alma - meu blog abraços!

    ResponderExcluir
  6. ainda existe muito preconceito em relação ao homossexualismo...

    quem sabe um dia isso muda!

    ResponderExcluir
  7. Eu já tinha lido o sobre elogios, gostei, embora eu ache que você ainda 'economize' demais. Se a pessoa merece, não temos que medir situação, não acha?

    Esse filme é maravilhoso, um dia tenho que fazer minha mãe assistir isso.

    ResponderExcluir
  8. Impressionante como tem gente que julga sem ao menos procurar entender aquilo que não conhece.

    Gostei dos links citados ao final. Você escreve muito bem!

    ResponderExcluir
  9. Gente... eu chorei litros com esse filme hahaha.

    Na verdade, acho que o filme fez escolhas bem fáceis e caiu no melodrama simples... mas não invalida a mensagem... tanto gostei que repassei para alguns amigos ;)

    Xêro!

    ResponderExcluir
  10. Ainda não vi, mas já providenciei para vê-lo ainda neste fim de semana.
    ;)

    ResponderExcluir
  11. Qualquer forma de preconceito, seja por raça, religião, classe social, cor da pele ou orientação sexual precisa ser combatida.
    Não vi o filme, mas agradeço pela dica!
    Em tempo, seu blog é excelente! Parabéns!

    ResponderExcluir
  12. Oi querido,

    Assisti o filme e fiquei super emocionado, pois como você disse: muitas pessoas (assim como eu) se identificam com o personagem.
    Eu já pensei muitas vezes em suicídio para diminuir a minha dor e economizar o preconceito. Preconceito não da sociedade, mas da minha família mesmo.

    Foi nessa época que conheci o blog do Daniel e depois de muitas trocas de emails ele conseguiu abrir os meus olhos e encarar de frente meus medos e angústias. Hoje sou mais consciente da minha homossexualidade e não me sinto mais uma aberração que vai para o inferno (de vez em quando tenho uma recaída e fico triste, mas logo passa). O melhor de tudo foi perceber que não estava sozinho e descobrir que não fui e não serei o único que passa essas angústias.

    Eu tinha visto o filme ano passado e não me lembrava, mas achei bom pois consegui assistí-lo com mais atenção e perceber alguns detalhes que não vi antes. Sem dúvida de que este é o melhor filme dentro da temática e o deixarei salvo, pois é um filme que ensina muito!!!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  13. Fala Railer!

    Então, já havia assistido ao filme faz algum tempo já e recomendo a qualquer pessoa.
    Sempre choro quando assisto e me arrisco ao dizer que é o melhor filme na temática para se recomemdar.
    Todas as famílias que tem algum membro homossexual, deveria assistí-lo.

    Grande abraço,
    Eduardo Paiva.

    ResponderExcluir
  14. Eu que nao curto filmes, me interessei por esse...
    Vou arrumar um tempinho para assisti-lo.
    Abraços

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. chorei muito vendo esse filme queria o livro mas não encontro em lugar nenhum para comprar!

    ResponderExcluir

não será permitido nenhum tipo de discriminação nos comentários assim como nenhum tipo de ofensa ao autor ou aos visitantes. obrigado!

postagens relacionadas