quinta-feira, 25 de abril de 2013

nas profundezas do mar sem fim

vale a pena!

em 2001, michelle pfeiffer protagonizou este belíssimo drama sobre uma mãe cujo filho desaparece aos três anos de idade. mesmo com a ajuda de uma policial (whoopi goldberg) e também de amigos, ele não é encontrado e a vida de todos passa a ser uma dúvida.

muitos anos depois, e já morando em outra cidade, a mãe reconhece um garoto como sendo o filho desaparecido. após a confirmação do encontro é que o filme realmente começa, com a mãe, o pai e os irmãos tendo que se adaptarem ao menino e vice-versa.

juntos eles tentarão (re)construir uma nova família e criar novas memórias afetivas, o que não vai ser fácil para nenhum deles, já que é uma situação delicada e bastante sensível, por causa dos vários anos que se passaram e da criação que o garoto recebeu.

nas profundezas do mar sem fim (the deep end of the ocean) é uma linda história sobre esperança, aceitação, paciência e recomeço. prepare-se para se emocionar.

8 comentários:

  1. Li um livro com esse mesmo enredo a uns anos atrás. Reencontros...L.Howard. Um romance, mas que tem um texto e final maravilhoso, tanto quanto deve ser o desse filme, que por sinal tem um nome lindo.
    abraços

    ResponderExcluir
  2. @margot, este filme foi baseado num livro que tem o mesmo título (nas profundezas do mar sem fim) e inclusive foi lançado no brasil.

    não conhecia esse 'reencontros'. obrigado pela dica.

    ResponderExcluir
  3. é, prepare-se para chorar né?

    ResponderExcluir
  4. Railer:

    Excelente dica hein...quero assisti-lo.

    Abraços querido e lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
  5. Bom dia !!!
    Boa dica, vim te visitar e desejar
    sempre o melhor bjão

    Abraços de bom domingo e boa semana
    Bjuss

    _Rita__

    ResponderExcluir
  6. Muito boa dica... é um filme muito tocante! Você já assistiu The Bridges of Madison County!? Não é bem nessa linha, mas eu acho um filme muito tocante também...

    Uma grande semana para você!

    ResponderExcluir
  7. Poxa... eu tinha me esquecido disso, obrigado por me lembrar, to have and not to hold...

    Lição dura, mas necessária... talvez seja bem isso, mas lendo teu texto eu me lembrei de um trecho de uma frase que me passou pelos olhos essa semana:

    "Há um véu de silêncio entre nós. Coisas não ditas que se pressentem. Não é um silêncio magoado ou ferido. Apenas um receio de cruzar linhas por onde já fizemos equilibrismo. Ambos sabemos que não vamos atravessá-las. Mas os dois acarinhamos esse futuro que não tivemos, como memória intocável e pura".

    Abração para você!

    ResponderExcluir
  8. Bahhhhhhhhhh... esse é emoção com E maiúsculo mesmo. Ótimo filme, Railer... Hugz!

    ResponderExcluir

não será permitido nenhum tipo de discriminação nos comentários assim como nenhum tipo de ofensa ao autor ou aos visitantes. obrigado!

postagens relacionadas