quarta-feira, 26 de setembro de 2007

a pressa

ontem, indo para o trabalho, desci do ônibus e fui caminhando em direção à passagem subterrânea (shopping rio sul) para cruzar as avenidas quando escuto um barulhão de batida. pensei: 'devem ter engavetado uns cinco carros, pelo som que deu'.

quando olho para a rua vejo um cara caído no chão, o mesmo cara que estava no ônibus, com pressa, gritando com o motorista para abrir a porta rápido... ele saiu correndo e atravessou ali mesmo, na frente do ônibus, olhando se era possível cruzar sem perigo (o que nunca é, numa via movimentada, de alta velocidade e que, por isso, possui uma passarela por baixo).

acontece que, pela manhã aqui no rio de janeiro, algumas pistas dessa avenida (lauro sodré - perto do shopping rio sul), que sempre corre num sentido, ficam com o sentido invertido, devido ao grande fluxo de veículos na direção oposta (sentido zona sul - centro). eu acho que o cara deve ter olhado pra trás e achou que dava para atravessar ali, mas se esqueceu que naquele horário havia carros vindo no outro sentido também... resultado, mochila para um lado, boné para outro, corpo pra longe...

fiquei ali com mais algumas pessoas que estavam no ônibus, inclusive uma conhecida de vista de uma das lojas perto do meu trabalho. esperamos chegar socorro e fomos embora. li no jornal depois que o cara foi levado ao hospital, mas não resistiu.

fiquei pensando quão atrasado ele devia estar para fazer o que fez... cruzar aquelas pistas sem usar a passarela que é tão segura, policiada e movimentada. será que existe algo tão importante assim que justifique colocar a vida em risco desse jeito?

e o coitado que atropelou estava lá, desesperado, vendo o corpo do outro no chão. claro que ele não tem culpa, já que ali nunca deveria estar um pedestre, mas só o susto e a consciência de que não conseguiu frear a tempo já são suficientes para mexer com o equilíbrio emocional de qualquer um.

por causa da pressa e do estresse do dia-a-dia, a gente acaba fazendo (ou até mesmo dizendo) coisas sem pensar. 'a pressa é a inimiga da perfeição', diz o ditado. portanto, vamos prestar mais atenção nisso. e calma, por favor.

3 comentários:

  1. devido a pressa pra ver o jogo do Ipatinga, outro dia eu mudei de faixa sem dar a seta e quase bati o carro...maior vacilo...

    bem melhor fazer as coisas com calma, tranquilidade...

    ResponderExcluir
  2. Nossa... que triste... mas tem que ser mto doido mesmo pra atravessar aquela pista. E como diz outro ditado: "Antes perder um minuto na vida do que a vida em um minuto".

    ResponderExcluir
  3. nossa, morro de medo de acidentes assim.. que m... imagino como não foi ruim ter estado próximo disso logo de manhã.

    ResponderExcluir

não será permitido nenhum tipo de discriminação nos comentários assim como nenhum tipo de ofensa ao autor ou aos visitantes. obrigado!

postagens relacionadas