quarta-feira, 29 de julho de 2009

educação

mesmo em tempos em que não existia gripes de animais ameaçando a humanidade, a boa educação sempre ensinou colocar a mão tampando a boca quando for espirrar ou tossir. e, de preferência, que a mão esteja limpa.

ao bocejar também, já que ninguém é obrigado a sentir o hálito quente que acompanha esse gesto e ninguém, tirando seu dentista, quer ver o fundo da sua garganta.

é algo que a gente aprende. sempre tem alguém pra te dizer, quando criança: 'lave a mão antes de almoçar' ou 'lave a mão depois de usar o banheiro' (pra esse último, não importa o que você foi fazer lá).

mas tem gente que se esquece dessas coisas quando cresce. penso assim, pois não consigo imaginar alguém que nunca tenha aprendido lições básicas de higiene e boa educação. afinal, todo nosso comportamento está regido por estas regras de boa convivência.

são atos simples que acrescentam muito e não exigem grandes esforços, como ceder o lugar a um idoso no ônibus/metrô (já vi gente fingir que dormia pra não dar o lugar) ou até mesmo esperar as pessoas saírem de um elevador para que você possa entrar. coisas básicas que estão se perdendo, assim como as palavras mágicas 'com licença', 'por favor', 'obrigado'.

tudo isso começa cedo na nossa vida, observando os comportamentos e exemplos ao redor. e aí, o que você tem contribuído de bom para isso?

pretérito perfeito: oração curtinha e verdadeira

segunda-feira, 27 de julho de 2009

circuito adidas inverno 2009

neste domingo foi a etapa inverno do circuito das estações adidas, no aterro do flamengo, rio, com provas de 5km e 10 km. mais uma vez eu estava lá presente, desta vez acompanhado do meu primo michel (blogueiro do cinética do caos).

a prova foi boa, o tempo ajudou, já que não fez sol e até choveu em algumas partes do percurso. completei os 10km em 55:41, melhorando a marca anterior, mas ainda precisando continuar treinando para conseguir minha meta de fazer em menos de 50 minutos (como o michel, que fechou em 46:00).

mais uma vez me inscrevi com a ap - assessoria esportiva, do amigo adevan pereira (abaixo), que contou com um delicioso café da manhã e serviço de apoio antes e depois da prova.



abaixo foto com amigos karyn, michel e edith, mostrando a medalha.


também tive o prazer de conhecer pessoalmente o famoso jorge (blogueiro do jmaratona), o corredor mais conhecido do rio de janeiro. incentivado pela postagem do xampa (aqui), aproveitei para entregar ao jorge, em mãos, minha doação para ajudá-lo a realizar o sonho de fazer a ultramaratona de 24h. ele merece e pessoalmente mostrou ter a mesma simpatia que passa ao escrever no seu blog. parabéns, jorge, e muito sucesso!


ao final, ganhei uma massagem no stand da tam, que foi sensacional.
nesta segunda já recomecei os treinos. a dúvida maior vem agora: correr ou não os 21km da meia maratona internacional do rio? setembro tá logo aí. será?



pretérito perfeito: festas de são joão

sexta-feira, 24 de julho de 2009

cabos

quem nunca precisou mexer em algum fio atrás do computador, para instalar/desinstalar algo, e se deparou com milhares de cabos conectados? pior é quando você precisa desligar alguma coisa e daí tem que ficar puxando os fios pra ver qual mexe lá na ponta até que apareça aquele com o qual você quer lidar. isso porque os cabos são parecidos, todos pretos e há um emaranhado que sempre dá trabalho.

quando estive no m.i.t. (massachussets institute of technology) tive a sorte de visitar uma feira de ciências de alunos de todos lugares dos estados unidos. entre os diversos projetos, um que me chamou atenção, por ser uma ideia ótima e simples, foi o que fizeram os 'coyote inventors', alunos da escola clarksburg high school, e que resolve o problema dos cabos.

eles inventaram o 'torchcord', um cabo de computador iluminado sensível à pressão. projetado para ser o substituto do cabo atual do computador, uma vez instalado, ele se ilumina por completo quando você o toca ou pressiona, permitindo que seja fácil identificá-lo. não é uma ótima ideia? tomara que seja levada adiante!


pretérito perfeito: batman e a vidraça

quarta-feira, 22 de julho de 2009

novo sol

hoje de manhã nasceu minha segunda afilhada, amelie! eu já tinha falado sobre ela aqui, sobre como fiquei felizão. o pai dela, meu amigo emille, já me ligou cedinho pra contar a novidade. tá todo orgulhoso! a mãe, mariana, e a filha passam bem e estão cheias de saúde.

uma curiosidade é que há 10 anos atrás, eu e o emille, estudantes universitários, tínhamos acabado de nos conhecer e viajado juntos para acampar. ao voltarmos, enviamos um relato do passeio para uma promoção da mtv que consistia em escrever um parágrafo com o tema 'um lugar do brasil que nós adoramos'. os melhores relatos - o nosso foi um deles - foram publicados numa revista comemorativa, enviada aos ganhadores e só distribuída para convidados do video music brasil - vmb99.

no texto, resumimos como tinha sido nosso passeio para o pico da bandeira, ponto mais alto de minas gerais. um passeio muito bacana e do qual guardo boas recordações. quem tiver a oportunidade, deve fazê-lo.

naquele dia, bem cedinho, vimos um belíssimo sol nascer.
hoje, 10 anos depois, estamos vendo outro.

"vencer nosso fôlego, nosso cansaço, nosso desânimo;
enfrentar trilhas onde poucos homens ousam se embrenhar em busca de um prêmio que poucos conhecem e muito menos alcançam. este é o caminho para os nove quilômetros das mais lindas paisagens do parque nacional do caparaó – mg.
de um lado, um abismo infindável, do outro, o caminho dos deuses. o cansaço nos torna cada vez mais pesados, e o frio queima a pele; no entanto, quando olhamos para o céu, descobrimos que estamos cada vez mais perto das estrelas, e nada no mundo é capaz de nos deter.
ao final de nossa caminhada, um choconhaque esquenta nossos corpos e o primeiro raio de luz surge invadindo o horizonte. sei que talvez nós sejamos os primeiros, talvez os únicos, nessa imensa vastidão de terra que nos enche a vista, a receber nesse instante a grande dádiva de deus, o sol! essa é nossa vitória, nossa medalha, nossa canção."
emille e railer, viçosa/mg


pretérito perfeito: fui aprovado

segunda-feira, 20 de julho de 2009

dia do amigo

hoje é o dia do amigo.
uma data especial pra gente lembrar de gente especial.

ano passado eu falei dos amigos virtuais (veja o pretérito perfeito abaixo), mas hoje vou falar de todos aqueles que não vejo/escuto/leio faz tempo. eu procuro sempre manter contato com meus amigos, mesmo os distantes, pra não perder esse sentimento bacana e fazê-los sempre presentes.

uma vez li algo muito interessante: 'amizade é igual café. uma vez que esfria, você pode tentar aquecer de novo, mas não fica igual'. então o melhor mesmo é não deixar esfriar!

deixo aqui palavras de fernando pessoa, que recebi do amigo hélio (sp), e que tomo liberdade de repassar aos demais amigos nesse dia. tou com saudade de todos vocês!

quero ser o teu amigo.
nem demais e nem de menos.
nem tão longe e nem tão perto.
na medida mais precisa que eu puder.
mas amar-te sem medida e ficar na tua vida,
da maneira mais discreta que eu souber.
sem tirar-te a liberdade, sem jamais te sufocar.
sem forçar tua vontade.
sem falar, quando for hora de calar.
e sem calar, quando for hora de falar.
nem ausente, nem presente por demais.
simplesmente, calmamente, ser-te paz.
é bonito ser amigo, mas confesso é tão difícil aprender!
e por isso eu te suplico paciência.
vou encher este teu rosto de lembranças,
dá-me tempo, de acertar nossas distâncias.
(fernando pessoa)



pretérito perfeito: amigos virtuais

sábado, 18 de julho de 2009

homem na lua

no dia 16 de julho de 1969 os astronautas neil armstrong, edwin 'buzz' aldrin e michael collins chegaram à lua com a apollo 11. esse mês foram comemorados os 40 anos dessa conquista. mas você sabia que muita gente não acredita nesse feito histórico e acha que essa missão foi forjada pela nasa? aliás, 20% dos americanos são céticos a respeito disso.

existe um site/livro chamado 'a fraude do século' que discute essa questão de 'teoria da conspiração' e coloca vários argumentos para tentar mostrar que tudo não passou de uma enganação. segundo o site, a idéia é que 'os estados unidos tramaram a farsa pois a união soviética estava à frente na corrida espacial, já que yuri gagarin já tinha ido ao espaço e dito que a terra era azul. assim, no auge da guerra fria, eles precisavam chamar a atenção para si'.

por que não há estrelas nas fotos? por que as sombras não estão todas para o mesmo lado se a única fonte de luz era o sol? se a nave veio do espaço e pousou ali, por que parece que foi colocada suavemente? por que a bandeira tremula se não há vento no vácuo? seria o diretor stanley kubrick o homem que aparece numa das fotos da nasa? poderia ele ter ajudado nos efeitos especiais já que ele tinha ganhado o oscar por '2001 - uma odisséia no espaço' um ano antes?

essas são algumas das perguntas analisadas no site, que também coloca os links para os vídeos do programa the mithbusters (os caçadores de mitos), já que houve um especial para explicar algumas das dúvidas levantadas.

o que você acha disso tudo?
e por que, desde 69, nenhum homem voltou mais lá?


pretérito perfeito: crítica do filme hancock

quinta-feira, 16 de julho de 2009

cinco aninhos

este mês aconteceu a festinha de aniversário da minha afilhada, em minas gerais, para comemorar os seus 5 aninhos. foi bem legal com direito a mini-salgadinhos, doces, cachorro-quente, refrigerante e até um pula-pula armado no quintal (eu já comentei aqui como gosto de festas infantis). todos se divertiram muito.

compartilho a seguir o vídeo que eu fiz para ela, celebrando esta data.




pretérito perfeito: l'oratório d'aurélia

terça-feira, 14 de julho de 2009

amor tranquilo

um colega escreveu um email contando uma experiência que teve na oftalmologista. durante o exame a médica começou a conversar. ela estava grávida e contou pra ele que o pai da criança era o seu segundo marido. que na realidade era o melhor amigo do primeiro marido (também fiz essa mesma cara de surpresa).

continuando, ela conta que conheceu o cara e foi percebendo que tinham muita afinidade, até que ele disse a ela que queria dividir todas as coisas boas que vinham compartilhando, que queria ficar com ela. então veio a dúvida: ficar com o cara que amava ou ficar com o cara com quem sentia que poderia passar o resto da vida.

daí ela optou pela segunda opção. meu colega perguntou como ela saberia se tinha feito a escolha certa e ela disse: 'estou com ele até hoje e já vamos ter o segundo filho'. e completou dizendo que não caiu de amores por ele, mas o amava.

meu colega então ficou espantado, pois percebeu que não houve click ou faísca no encontro dos dois, como ele está acostumado a esperar de um encontro amoroso. foi surpresa pra ele que o amor pudesse vir assim, a partir de algo tranquilo e confortante. então ele conclui dizendo que está aprendendo que às vezes o amor não tem que ser explosivo, excitante ou desafiador.

ao ler o texto dele eu fiquei pensando sobre isso. eu também sempre achei que se não rolasse a tal faísca, o fogo do momento, seria difícil qualquer relacionamento ir pra frente. o mais interessante é que estou conhecendo uma pessoa que surgiu assim, sem click, apenas apareceu e estamos seguindo tranquilamente.

sempre é tempo de aprender.

*atualização: tava tranquilo até demais. não rendeu. infelizmente.

pretérito perfeito: símbolos para ajudar a lavar a roupa

sexta-feira, 10 de julho de 2009

nyrr, dash 10k

mês passado participei de uma corrida muito bacana em nova iorque: dash 10k. dash, em inglês, além do hífen (-), é arrancada, como na largada de uma corrida. o percurso era uma volta completa no central park, totalizando 6,2 milhas ou 10 km. e foi organizada pelo grupo nyrr - new york road runners, responsáveis pelas corridas na cidade, inclusive a maratona de nova iorque.

cheguei em nova iorque numa sexta de manhã e fui buscar o kit que era composto do número de peito, alfinetes e uma camiseta de malha. ainda bem que levei uma outra camisa leve por precaução, pois a camiseta do evento é de tecido grosso e deve ficar pesada quando estiver molhada de suor.

sábado cedinho peguei o metrô e já conheci um monte de gente no vagão, todos indo correr a mesma prova. faltando meia-hora deu vontade de ir banheiro e só havia pouquíssimas cabines para milhares de pessoas. consegui usar o banheiro e ir para a concentração quando já tocavam o hino nacional pra começar a prova.

a largada é setorizada por cores e número de peito. quando a gente se inscreve é obrigatório preencher o seu pace (tempo médio por quilômetro) e isso te coloca numa categoria de cores em que os mais rápidos largam no batalhão da frente e assim por diante. como eu já estava atrasado, resolvi entrar no meio de um outro setor e começar a correr dali, pois o meu estava mais atrás.

logo na primeiro milha me deparei com uma subida surpresa. eu achava que o percurso era todo plano. abaixei a cabeça e diminuí o ritmo, mas a frequência cardíaca aumentou pra caramba. ao longo do caminho ainda houve mais duas ladeiras, sendo que a última era a pior. nada que depois eu não compensasse nas descidas.

consegui fazer o percurso em 56:58 minutos, meu melhor tempo em provas de 10km. eu queria ter feito menos de 55 minutos, se não fossem as subidas, mas vou seguir treinando pra atingir minha meta de fazer essa distância em menos de 50 minutos.

na chegada havia gatorade, maçã, pêssego e picolés de frutas, mas nada de medalha. ouvi comentarem que alguns patrocinadores desistiram e tal (isso explica a camisa...). mas uma coisa que gostei muito foram os ajudantes que ficam de meia em meia milha com megafones incentivando a galera: 'vocês estão indo muito bem!', 'não desistam!', 'vamos lá, falta pouco!'. essa força que eles dão ajuda pra valer.

durante a viagem, descobri uma loja (jackrabbit) em que você escolhe o tênis e testa correndo em uma das esteiras do lugar enquanto eles monitoram sua pisada. vale a pena, ainda mais pra mim que, quando compro tênis, fico correndo a loja inteira pra ver como está. fica a dica para quem for por lá.

minha próxima corrida é a etapa inverno do circuito das estações adidas, no final deste mês. vamos correr!

terça-feira, 7 de julho de 2009

romances e tecnologia

no vôo de volta das férias eu assisti ao filme 'ele não está tão a fim de você' (he's just not that into you, 2009). o filme tem um elenco de peso, incluindo ben affleck (demolidor), jennifer aniston (marley e eu), drew barrymore (as panteras), jennifer connely (o dia em que a terra parou) e scarlett johansson (vicky cristina barcelona).

o filme é uma comédia romântica bem leve que fala sobre relacionamentos e suas complicações, como a famosa espera pelo telefonema no dia seguinte. além disso, entra na questão de como cada um interpreta as atitudes do outro à sua maneira, errando ou acertando, antes, durante e após um encontro.

em uma cena, a personagem mary, interpretada pela drew barrymore, comenta sobre um cara que ela conheceu, mas que agora sumiu:

'o cara me deixou um recado na secretária eletrônica do trabalho, então eu liguei pra ele em casa. daí ele me mandou um email para o meu blackberry e então eu mandei um torpedo pro celular dele. agora você tem que ficar checando em todos esses diferentes canais para se certificar que foi rejeitada através de sete tecnologias diferentes. isso cansa!'

eu não tinha pensado nisso. antes a questão era um telefonema no dia seguinte. hoje em dia, pode ser um telefonema, um email, uma mensagem no orkut ou no twitter, um torpedo, um recado na secretária eletrônica ou até uma postagem num blog. se a pessoa não estiver mesmo segura de si, ela vai precisar de ficar checando cada lugar para ver se a outra pessoa mandou mensagem. realmente deve cansar.

esse lance da ansiedade é algo que precisa ser trabalhado na gente. às vezes conhecemos alguém que dá vontade de ficar conhecendo mais e mais. o problema é que ansiedade pode assustar a pessoa e também não permitir que você se dê o tempo necessário para conhecê-la e vice-versa.

talvez o melhor a se pensar é que nesse mundo cheio de tecnologias diferentes, se a pessoa quiser mesmo se comunicar e te reencontrar, ela não vai ter dificuldades.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

minhas férias

caros leitores, estou de volta ao blog depois das férias. obrigado a todos pelos comentários nesse tempo. realmente foi muito legal e eu me diverti tanto que voltei precisando de férias. sei que elas existem pra gente descansar, mas eu adoro viajar e aproveitar ao máximo! o corpo chega mega cansado, mas a cabeça está tranquila, relaxada.

aos poucos vou utilizar as postagens para falar das coisas que aconteceram, o que eu vi e o que eu gostaria de compartilhar. eu tinha pensado em fazer essa postagem de retorno como uma espécie de redação, a famosa 'minhas férias', mas depois decidi contar aos poucos pra redação não ficar muito grande.

nova iorque é um lugar muito bonito. a ilha de manhattan, a grande metrópole, é ao mesmo tempo interessante e fascinante. no meio dos arranha-céus há diversos parques, sendo o maior deles o central park, que servem como descanso e refúgio para o agito da grande cidade. aliás, a mais cosmopolita do mundo.

por todo lado há lojas de marca e incentivos ao consumismo. é um lugar fácil de se locomover (ruas numeradas e perpendiculares) e onde você encontra gente do mundo todo. mesmo com toda diversidade, em nova iorque você é quem você é. as pessoas não estão preocupadas com o que os outros pensam delas e também não se importam com o modo como cada um se expressa, seja através de roupas, cabelos, calçados ou as próprias atitudes. é um lugar de total liberdade individual.

eu me perguntava como seria aqui um engravatado com cabelo punk ou os braços todos tatuados, como eu vi por lá. por isso é bom visitar lugares assim para que a gente possa abrir um pouco mais a cabeça para essas questões, principalmente voltadas ao caráter das pessoas e não a qualquer tipo de preconceito estabelecido.

agora é voltar à rotina, trabalho, academia, pilates e treinos de corrida. também vou retomar (aos poucos) as visitas aos blogs amigos. quero saber o que aconteceu nesse tempo. aproveitem pra ler também a postagem 'pepsi generation', sobre michel jackson, que fiz no blog 'voce se lembra', onde sou colaborador.

postagens relacionadas